12 coisas que aprendi na Inglaterra

edimburgo

Meu primeiro ano na Inglaterra! Ieiiiiiii! \o/ Como passou rápido esse um aninho. Foi um ano TÃO esperado. Eu era daquelas adolescentes que pedia revistinha da agência de intercâmbio EF láaaaaaa no interior de Minas Gerais só para ver as fotos das cidades aqui da Inglaterra e sonhar com o dia que eu estaria andando por aquelas ruas. Isso é da época que não tinha Internet, meu bem. Revista era tudo. #vovófeelings

Um dia o sonho virou plano e, há pouco mais de um ano, o plano virou vida real. É brega, mas tenho que dizer: Quando você acredita em algo e vai atrás, você consegue, baby! Pois é. E cá estou. England is mine, como dizia David Guetta (ou quase isso! haha).

Neste ano que passou aprendi coisa pra caramba. Além do mestrado que vim fazer (que também me acrescentou demás!), vivi 12 meses de curso intensivo sobre algo muito importante: eu mesma. A ideia era essa mesmo, unir o útil ao agradável. Tive o que os gringos chamam de gap year ou ano sabático, que é um ano que você coloca sua vida “normal” no pause e para para investir em outras coisas de seu interesse. Pra falar a verdade nem tinha ideia que estava fazendo isso até escutar que estava fazendo isso de uma outra pessoa. Mas fiz. 🙂

Muitas experiências não dá para dividir, porque são coisas que só a gente que passa consegue explicar. Entretanto, como o objetivo deste blog é dividir o que eu vivo de legal, estou aqui pra contar as 12 coisas que aprendi nesses 12 meses morando aqui. Então, vamos lá!

1) Brasileiras não são as mulheres mais vaidosas do mundo. Momento de choque com essa notícia, né?! Pois é. Vivem dizendo por aí que somos as mulheres mais vaidosas do mundo e blá blá blá. Tudo papo furado. Para não dizer que isso é uma total mentira, realmente a maioria das brasileiras pode ser considerada vaidosa porque se preocupa em estar sempre bem depilada ou por ter mania de ir sempre ao salão de cabeleireiro, por exemplo. Mas não podemos dizer que uma menina que acorda e dorme de maquiagem ou que passa horas colocando unha postiça não é vaidosa, podemos? Pois é, queridos… A maioria das inglesas, nigerianas, indianas, dentre outras nacionalidades, são vaidosas sim. A diferença é que para elas o conceito de vaidade não é como o nosso. Enquanto nós, brasileiras, estamos preocupadas em ter nossa cutícula muito bem retirada, as inglesas, por exemplo, estão pensando qual a cor de cabelo que as deixaram mais estilosas… C’est la vie!

2) DIY é vida. Já devem ter ouvido falar essa expressão que está super na moda: Do It Yourself que significa Faça você mesmo, né?! Pois é. Esse é o “lema” de quem mora no exterior, já que a maioria das coisas aqui é você mesmo quem faz. Desde montar uma cama, até fazer sua depilação ou suas unhas. Você pode até pagar pra fazer, mas não é o comum.

3) Generalizar não é legal. Sabe aquilo tudo que você acha sobre os ingleses, franceses, portugueses, americanos, etc? Esquece. Muitos conceitos que formamos sobre outras culturas são derivados de generalizações que o mundo faz para lidar melhor com o diferente. São necessárias com certeza, porém, é muito importante entender que pessoas são pessoas em qualquer lugar. Cultura influencia sim, mas não domina o pensamento, a atitude e muito menos o sentimento de ninguém.  Portanto, nem todo inglês é um lord e nem toda brasileira é bunda. Pense nisso.

4) Thank you e Excuse me são palavras básicas para se viver aqui. E tenho dito.

5) Você sobrevive sem comida brasileira. É difícil, mas você consegue. E outra, sempre tem um mercadinho que vende arroz e aí você improvisa com alguma coisa e manda ver. Use sua criatividade! E vale uma observação: Comida inglesa pode sim ser uma delícia.

6) Cerveja na temperatura ambiente não é tão ruim no frio. Gente, quando a temperatura ambiente é 1ºC quem precisa de geladeira?! rs

7) No inverno dá pra usar roupa colorida. Gente, é complicada a missão de tornar o inverno menos sombrio e sair do preto e cinza. Porém, como aqui eles estão mais acostumados com o frio do que com o calor, eles me ensinaram que existe cor e alegria no inverno. Basta ter bons olhos para ele. 🙂

8) “Jeitinho brasileiro” só funciona no Brasil. Ah, como a maioria de nós se orgulha do famoso “jeitinho brasileiro”, não é?! Pois é, mas aqui ele não funciona não, aliás é até mal visto por alguns. Por isso, conselho de amiga: respeite as leis do país e não fica querendo jogar seu charme brasuca, porque não vai funcionar. 

9) Com (quase) tudo nessa vida a gente se acostuma. Eu nunca achei que pudesse sobreviver sem pão de queijo e suco de cajú. E cá estou, vivinha da Silva! Acredite, você vai se acostumar com a maioria das coisas que você disse que não poderia viver sem. Só não dá mesmo pra se acostumar com gente fedida e a saudade das pessoas que amamos. Todo o resto, passa.

10) Dar mais valor as pequenas coisas. Hoje, eu dou muito mais valor ao meu ex-chuveiro com bastante água e também tomar banho sem chinelo. Sim, eu tomo banho de chinelo, porque moro com outras pessoas e tenho nojinho de pisar onde saí as cacas do povo no banho…rs #coisademãe

11) Dar menos valor ao que os outros pensam. Aqui é cada um por si. Sua personalidade é o que te define e não a marca da sua roupa ou o modelo do seu carro. Ninguém tá nem aí se você usa cabelo rosa ou tem o corpo todo tatuado. Just be yourself e esqueça do resto do mundo. Isso é fantástico! 

12) O momento é agora. Dar valor aquilo que está vivendo é a melhor lição que aprendi. A contagem do tempo é só para frente. O tempo não volta e momentos também não, então aproveite as oportunidades.

Ufa! Post grande, mas espero que tenham gostado.
Se gostou, compartilha e curte lá no Facebook a fan page do blog. Tem sempre algum amigo que está querendo vir pro exterior. 🙂

Cheers!! xxx

Anúncios