S2 Valentine’s Day S2

Imagem

O dia mais romântico chegou aqui no Reino Unido e em vários outros países da Europa e da América do Norte. Hoje é Valentine’s Day ou Dia dos Namorados! S2 Solta o som para entrar no clima desse post!

Pois é, os gringos celebram essa data diferentemente de nós, brasileiros, porque homenageiam São Valentim e não Santo Antônio. Dizem por aí que Valentim era um bispo que desafiou as ordens do imperador romano Cláudio II e continuou celebrando casamentos dos casais apaixonados enquanto o imperador havia determinado que em época de guerra não haveríam casamento, pois solteiros eram melhores combatentes. Claro que Valentim não ficou impune e foi condenado à morte que foi justamente no dia 14 de fevereiro há muitos e muitos anos atrás. Daí a homenagem e a explicação da data.

Aqui, alguns costumes são parecidos com o do Brasil. Os casais saem para jantar, tem presentinhos e muitos pedidos de casamento. Mas os Britânicos dão uma importância tremenda para os cartões. Tanto é que em qualquer supermercado daqui você encontra centenas de diferentes tipos de cartões. E esses cartões não são só enviados para os amados não, é bem comum enviar e receber esse mimo dos amigos e familiares, principalmente quando você está solteiro. Fofo, né?!  

Outra curiosidade é que os presentes mais comuns que acompanham o cartão são as rosas vermelhas e caixas de chocolates que, na maioria das vezes, são enviados para os namorados, para esposas/maridos e até para os pretendentes em anonimato. Pois é, você manda sem assinatura mesmo. Que mistério, né?! Achei legal também.

Então, se você está por essas bandas de cá, aproveite para ficar bem gata pro seu amor nacional ou internacional. Se joga nesse vídeo aqui que ela dá dicas bem legais e você aproveita pra treinar seu inglês (se não vai de legenda! rs). Caso você esteja aí no calorão do Brasil, faz um dia dos namorados internacional com seu bem. Aproveita que hoje é sexta e usa o romance a seu favor. 😉 E se você está solteira, curta um anti-dia dos namorados com os amigos e divirta-se mesmo assim! 🙂 

E se gostou do blog, curte lá no Facebook a fan page do blog. :*

Cheers!! xxx

 

 

Anúncios

12 coisas que aprendi na Inglaterra

edimburgo

Meu primeiro ano na Inglaterra! Ieiiiiiii! \o/ Como passou rápido esse um aninho. Foi um ano TÃO esperado. Eu era daquelas adolescentes que pedia revistinha da agência de intercâmbio EF láaaaaaa no interior de Minas Gerais só para ver as fotos das cidades aqui da Inglaterra e sonhar com o dia que eu estaria andando por aquelas ruas. Isso é da época que não tinha Internet, meu bem. Revista era tudo. #vovófeelings

Um dia o sonho virou plano e, há pouco mais de um ano, o plano virou vida real. É brega, mas tenho que dizer: Quando você acredita em algo e vai atrás, você consegue, baby! Pois é. E cá estou. England is mine, como dizia David Guetta (ou quase isso! haha).

Neste ano que passou aprendi coisa pra caramba. Além do mestrado que vim fazer (que também me acrescentou demás!), vivi 12 meses de curso intensivo sobre algo muito importante: eu mesma. A ideia era essa mesmo, unir o útil ao agradável. Tive o que os gringos chamam de gap year ou ano sabático, que é um ano que você coloca sua vida “normal” no pause e para para investir em outras coisas de seu interesse. Pra falar a verdade nem tinha ideia que estava fazendo isso até escutar que estava fazendo isso de uma outra pessoa. Mas fiz. 🙂

Muitas experiências não dá para dividir, porque são coisas que só a gente que passa consegue explicar. Entretanto, como o objetivo deste blog é dividir o que eu vivo de legal, estou aqui pra contar as 12 coisas que aprendi nesses 12 meses morando aqui. Então, vamos lá!

1) Brasileiras não são as mulheres mais vaidosas do mundo. Momento de choque com essa notícia, né?! Pois é. Vivem dizendo por aí que somos as mulheres mais vaidosas do mundo e blá blá blá. Tudo papo furado. Para não dizer que isso é uma total mentira, realmente a maioria das brasileiras pode ser considerada vaidosa porque se preocupa em estar sempre bem depilada ou por ter mania de ir sempre ao salão de cabeleireiro, por exemplo. Mas não podemos dizer que uma menina que acorda e dorme de maquiagem ou que passa horas colocando unha postiça não é vaidosa, podemos? Pois é, queridos… A maioria das inglesas, nigerianas, indianas, dentre outras nacionalidades, são vaidosas sim. A diferença é que para elas o conceito de vaidade não é como o nosso. Enquanto nós, brasileiras, estamos preocupadas em ter nossa cutícula muito bem retirada, as inglesas, por exemplo, estão pensando qual a cor de cabelo que as deixaram mais estilosas… C’est la vie!

2) DIY é vida. Já devem ter ouvido falar essa expressão que está super na moda: Do It Yourself que significa Faça você mesmo, né?! Pois é. Esse é o “lema” de quem mora no exterior, já que a maioria das coisas aqui é você mesmo quem faz. Desde montar uma cama, até fazer sua depilação ou suas unhas. Você pode até pagar pra fazer, mas não é o comum.

3) Generalizar não é legal. Sabe aquilo tudo que você acha sobre os ingleses, franceses, portugueses, americanos, etc? Esquece. Muitos conceitos que formamos sobre outras culturas são derivados de generalizações que o mundo faz para lidar melhor com o diferente. São necessárias com certeza, porém, é muito importante entender que pessoas são pessoas em qualquer lugar. Cultura influencia sim, mas não domina o pensamento, a atitude e muito menos o sentimento de ninguém.  Portanto, nem todo inglês é um lord e nem toda brasileira é bunda. Pense nisso.

4) Thank you e Excuse me são palavras básicas para se viver aqui. E tenho dito.

5) Você sobrevive sem comida brasileira. É difícil, mas você consegue. E outra, sempre tem um mercadinho que vende arroz e aí você improvisa com alguma coisa e manda ver. Use sua criatividade! E vale uma observação: Comida inglesa pode sim ser uma delícia.

6) Cerveja na temperatura ambiente não é tão ruim no frio. Gente, quando a temperatura ambiente é 1ºC quem precisa de geladeira?! rs

7) No inverno dá pra usar roupa colorida. Gente, é complicada a missão de tornar o inverno menos sombrio e sair do preto e cinza. Porém, como aqui eles estão mais acostumados com o frio do que com o calor, eles me ensinaram que existe cor e alegria no inverno. Basta ter bons olhos para ele. 🙂

8) “Jeitinho brasileiro” só funciona no Brasil. Ah, como a maioria de nós se orgulha do famoso “jeitinho brasileiro”, não é?! Pois é, mas aqui ele não funciona não, aliás é até mal visto por alguns. Por isso, conselho de amiga: respeite as leis do país e não fica querendo jogar seu charme brasuca, porque não vai funcionar. 

9) Com (quase) tudo nessa vida a gente se acostuma. Eu nunca achei que pudesse sobreviver sem pão de queijo e suco de cajú. E cá estou, vivinha da Silva! Acredite, você vai se acostumar com a maioria das coisas que você disse que não poderia viver sem. Só não dá mesmo pra se acostumar com gente fedida e a saudade das pessoas que amamos. Todo o resto, passa.

10) Dar mais valor as pequenas coisas. Hoje, eu dou muito mais valor ao meu ex-chuveiro com bastante água e também tomar banho sem chinelo. Sim, eu tomo banho de chinelo, porque moro com outras pessoas e tenho nojinho de pisar onde saí as cacas do povo no banho…rs #coisademãe

11) Dar menos valor ao que os outros pensam. Aqui é cada um por si. Sua personalidade é o que te define e não a marca da sua roupa ou o modelo do seu carro. Ninguém tá nem aí se você usa cabelo rosa ou tem o corpo todo tatuado. Just be yourself e esqueça do resto do mundo. Isso é fantástico! 

12) O momento é agora. Dar valor aquilo que está vivendo é a melhor lição que aprendi. A contagem do tempo é só para frente. O tempo não volta e momentos também não, então aproveite as oportunidades.

Ufa! Post grande, mas espero que tenham gostado.
Se gostou, compartilha e curte lá no Facebook a fan page do blog. Tem sempre algum amigo que está querendo vir pro exterior. 🙂

Cheers!! xxx

Beauty Boxes no Reino Unido

glossybox-470x260

Novo layout para um ano novo do blog. 😀 E aí, gostaram? Achei mais friendly esse aqui. Mas me digam o que acharam nos comentários.

Bom, como eu já disse em outro post adoro acompanhar outros blogs de moda e beleza daqui da Europa e também do Brasil. Ultimamente, tenho visto que está uma febre uma tal de Glambox, que é uma caixinha cheia de produtos de beleza que chega todos os meses para as assinantes. O preço no Brasil é aproximadamente 50 reais mensais.

Para falar bem a verdade, eu já tinha ouvido falar, mas nunca tinho ido atrás para saber o que era. Achei muito legal essa nova maneira de experimentações de produtos. Me interessou muito porque trabalho com marketing e tudo que se relaciona com novidades nessa área vou atrás. Além disso, me interessou também como consumidora. Pensa. São vários produtos de tamanhos diversos (amostras, miniaturas e tamanhos originais), de diversos preços e variedades, que você tem acesso todos os meses por um preço fixo. Bom demais, né?!

Mas aí eu pensei que isso aí deve ser exclusividade brasileira e fui atrás para saber como funciona aqui no Reino Unido. E aí descobri que aqui não tem só uma opção, tem várias!! Em geral, o processo é o mesmo da versão brasileira. Você faz uma assinatura das caixinhas, que pode ser desde mensal até anual, recebe em sua residência alguns produtos de beleza (em média 5) de acordo com um perfil que você define no início do processo, e acumula pontos para trocar por produtos que gostou no respectivo site.

Existem algumas variações, nas quais você não precisa assinar, mas apenas escolhe qual caixa você quer comprar e não tem nenhum tipo de fidelidade. Os preços não se diferenciam muito um do outros, em geral o custo mensal é de 10 libras, o que eu acho bem aceitável pelos produtos que vi nas edições anteriores.

Eu ainda não assinei e nem testei. Portanto, não posso fazer nenhum julgamento, mas fiz uma pesquisa e vou dividir com vocês as empresas que atualmente oferecem esse serviço. Mas fala aí, com certeza isso seria um ótimo presente de Natal, não acham?! #ficaadica rs

Birchbox: Minha preferida so far! Achei que os produtos dessa aqui são mais conhecidos e mais variados, sabe? Mas aqui me parece que são mais amostras mesmo e poucos produtos no tamanho original.
Preço médio: 10 libras + 2,95 de frete

Glossybox: Essa é a que mais se parece com a versão brasileira, a Glambox (até o nome!). Também são 5 produtos de beleza mais uma revista com descritivos sobre os produtos. Li por aí que essa caixinha já foi melhor…
Preço médio: 10 libras + 2,95 de frete

BeTrousse: Essa aqui é diferente, porque não precisa assinar. Você entra no site, escolhe qual caixa te interessa e compra. Mais democrático, né? E outra vantagem é que todos os itens são full-size, ou seja, vão em tamanho original, mas você paga bem mais barato do que se fosse na loja comprá-los. Esse mês, por exemplo, tem caixa com 3 a 6 produtos.
Preço médio: 10 libras + 2,95 de frete ou a opção luxuosa que é 19 libras

Latest in Beauty: Outra que não precisa de se inscrever, mas são mais amostras de produtos de beleza de luxo que você recebe em casa para testar. Além disso, todos os meses eles montam caixas temáticas. Esse mês tem uma da revista Glamour, por exemplo, por 14,95 libras. Pelo o que olhei lá, vale bem a pena, viu?
Preço médio: De acordo com a caixa que será escolhida.

Girls, enjoy!! E se gostou do blog, curte lá no Facebook a fan page do blog. :*

Cheers!! xxxx

 

Escrevendo (in English!)

13-tips-words-cloud1

Pessoas queridas,

Primeiramente, mil desculpas pelo meu sumiço. Não é falta de comprometimento com o blog, mas estou muito focada na minha faculdade agora, porque tenho muita (mas muita mesmo!) coisa para entregar até o final no meu semestre, que aqui na Inglaterra é em janeiro. Os prazos estão aí! Parece mentira, mas já faz quase um ano que vim pra cá. É um clichê (I know!) mas esse ano voou, né?! Infelizmente, porque tenho que dizer que morar na Inglaterra não é nada mal…rs 😉

Como estou SUPER na loucura ainda, passei rapidinho para dizer que meu projeto ainda continua vivo. Também estava aqui pensando que, assim como eu, têm muita gente por aí que está fazendo faculdade, mestrado ou doutorado aqui no UK (viva o Ciência sem Fronteiras! rs). Como inglês não é nossa primeira língua, a gente passa certo aperto para escrever perfeitamente em inglês, não é? Então, para ajudá-los segue abaixo alguns links mega úteis que utilizo quando estou escrevendo meus assignments, essays ou até a monstruosa dissertation.

BBC Learning English: Esse site é muito bom para aqueles que estão aprendendo e também para as pessoas que já sabem falar inglês, mas estão em busca da perfeição. rs Vale a pena a visita.

Linguee: É um tradutor bem mais inteligente que o Google Tradutor.

bab.la: Dicionário online para mais de 24 idiomas. Muito completo!

Polish my Writing: O SALVADOR! Esse site é sensacional, porque corrige sua frase ou texto apontando até erros de concordância verbal.

Thesaurus: Aqui você acha os sinônimos e antônimos em inglês. Também tem dicas legais sobre CV, cover letter e trabalhos acadêmicos.

Michaelis: Como minha mãe diz, o famoso “pai dos burros” que me salva muito quando tem umas palavras cabulosas em português, inglês, espanhol, etc. Mais velho que a minha avó, mas continua salvando a galera.

My memory: Outro tradutor no estilo do Linguee.

Gostou, bem? Então, salva aí nos seus favoritos que se você não precisa agora, um dia vai precisar. 🙂

Se você gostou, curte lá no Facebook a fan page do blog e divulgue para os amigos. :)

Cheers!!